31.3.06
Age of Apocalypse vol. 1-2

ref.145-146/06

Entre o final da publicação das revistas Marvel pela Abril/Controljornal e o início pelas mãos da Devir, ocorreu a Age of Apocalypse, uma mega-série com repercussões ao nível de toda a linha editorial mutante, que, inclusivamente, substituiu durante alguns meses as revistas mensais nas bancas por mini-séries e one-shots.

Tudo começou quando David Haller, conhecido por Legião, um mutante extremamente poderoso, filho do Professor Charles Xavier e da diplomata israelita Gavrielle Haller, viaja para o passado, com a intenção de matar o antigo amigo do pai, entretanto arqui-inimigo dos X-Men, Magneto. No entanto, Xavier tenta salvar Magneto, acabando Legião por cometer fatricídio. Cria-se assim um paradoxo temporal, cessando o Legião de existir, uma vez que a morte de Xavier se dá muito antes da sua concepção. Estes eventos despoletam que os planos de soberania de Apocalypse ocorram 10 anos antes de na linha temporal prinicipal do universo Marvel, alcançando a sua conquista com algum êxito, numa era que passa a ser conhecida pela Era do Apocalypse.

Todos estes acontecimentos originam diferentes escolhas e caminhos, pelo que muitas das personagens reconhecíveis são bastante diferentes. Inclusivamente, os nomes das equipas foram alterados (X-Force = Gambit and the X-Ternals; Excalibur = X-Calibre; Generation X = Generation Next). É também nesta era que surgem algumas personagens mais tarde repescadas, como a Blink dos Exiles.

Por altura do 10º Aniversário da Age of Apocalypse, além da publicação de novo material, a Marvel decidiu publicar em 4 grandes volumes  Age of Apocalypse - The Complete Epic, tendo já sido editados 2 deles.

Em vez da ordem de publicação, os editores tentaram dar uma ordem cronológica. Assim sendo, o 1º volume compila X-Men Chronicles #1-2, Tales from the Age of Apocalypse: By the Light & Sinister Bloodlines, X-Man #-1 & '96 Annual e Blink #1-4, enquanto que o 2º contém X-Men: Alpha, Age of Apocalyse: The Chosen, Generation Next #1, Astonishing X-Men #1, X- Calibre #1, Gambit and the X- Ternals #1-2, Weapon X #1-2, Amazing X-Men #1-2, Factor X #1-2 e X-Man #1. A lista de autores é igualmente longa.

Para todos os leitores portugueses que desejavam conhecer a série esta é uma oportunidade, que eventualmente valerá pelo seu conceito histórico, estando, inclusivamente, hoje em dia demasiado datada.

X-Men: Age of Apocalpyse - The Complete Epic #1-2 (originais:1995-1997, 2001)
(vários autores)
Marvel, 2005-2006 (EUA)
2 x 376 pp, brochados
ISBN 0-7851-1714-8 e -1874-8


Posted at 17:53 by enanenes
Deixe a sua opinião  




30.3.06
O Escapista & Mente Perversa

ref.143-144/06

Os leitores deste blog poderão não estar familiarizados com o ilustrador e argumentista inglês Tim Morris. Tal como Tom McCay e Terry Morgan, trata-se de um pseudónimo do português Manuel Tiago Silva.

N' O Escapista / The Escapist existe uma narrativa estruturada, na qual o leitor é convidado a vislumbrar as ausências da realidade vividas por um livreiro chamado John.

Já em Mente Perversa / Dirty Mind a narração é inexistente e, apesar de alguns balões de fala, catalogar este livro como BD ou não poderia ser alvo de ininterruptas discussões. Na minha perspectiva, pode ser encarado como um mostra do trabalho do autor a nível da ilustração, dividido por capítulos, quase como se fossem alas diferentes de uma mesma exposição.

Quer um como outro livro, devem ser atentamente folheados na loja, antes de assumir o compromisso da compra. Tal é ainda mais importante em Mente Perversa se apenas tiverem como hábito comprar BD.

Tim Morris
Campo de Letras, 2005 (Portugal)
brochados:

O Escapista / The Escapist
A preto e branco #3
64 pp
ISBN 972-610-945-0

Mente Pervesa /Dirty Mind
A preto e branco #4
72 pp
ISBN 972-610-946-9


Posted at 15:19 by enanenes
Deixe a sua opinião  




29.3.06
The Thief of Always

ref.142/06

Em 1992, Clive Barker escreveu The Thief of Always, um livro infanto-juvenil que conta um fábula de terror e fantasia, na qual a casa de férias de Mr. Hood recebe meninos há anos e anos, sendo um local repleto de magia e diversão, onde todos os desejos das crianças são satisfeitos. No entanto, há um terrível preço a pagar por tal...

Em 2005, este livro foi adaptado à BD por Kris Oprisko e Gabriel Hernandez, sob o formato de uma mini-série em 3 números, entretanto compilada.

A história é capaz de prender por completo a atenção de crianças e adultos. E a belíssima arte pintada de Hernandez valoriza ainda mais a edição.

Como extras, contém as capas e esquissos de Hernandez e uma entrevista com Barker (que peca por na última página, em vez do final da entrevista, se repetir o conteúdo inicial da mesma).

Uma óptima escolha!

Clive Barker's The Thief of Always (#1-3)
Kris Oprisko & Gabriel Hernandez
IDW, 2005 (EUA)
144 pp, brochado
ISBN 1-933239-38-7


Posted at 15:02 by enanenes
Deixe a sua opinião  




28.3.06
My Faith in Frankie

ref.141/06

O digest My Faith in Frankie reúne os 4 números da mini-série homónima, da autoria de Mike Carey e Sonny Liew, sendo as capas e a arte-final de Marc Hempel.

Como extras apresenta alguns esquissos de Liew, bem como um preview de 9 páginas de The Dead Boy Detectives de Jill Thompson.

Frankie tem o seu deus pessoal, chamado Jerivan. Esta divindade particular tem-na protegido desde o seu nascimento e Frankie tem um culto muito especial para com Jer. No entanto, quando Frankie se começa a interessar por rapazes, o ciumento Jerivan obstaculiza-lhe qualquer relacionamento, privando-a, já na sua vida académica, de qualquer intimidade com o sexo oposto. Entretanto, planos sinistros encontram-se a ser realizados nas costas de Frankie e Jerivan, colocando em risco a sua existência.

Argumento original e cativante (apesar de pessoalmente, o final não ter sido a minha parte favorita), com uma bonita arte de Liew, repleta de influências asiáticas. Uma verdadeira (e boa) surpresa !

My Faith in Frankie (#1-4)
Mike Carey & Sonny Liew
Vertigo / DC, 2002
112 pp, brochado
ISBN 1-4012-0390-6


Posted at 14:39 by enanenes
Deixe a sua opinião  




27.3.06
School Bites

ref.139-140/06

Holly G!, também conhecida por Holly Golightly, é a autora de School Bites, uma série de periodicidade anual na qual é a criadora e argumentista, realizando ainda a colorização e a letragem.

No #1, subintitulado Orientation..., a primeira página é uma explicação de como a série surgiu. Na verdade trata-se de um manifesto contra a Archie Comics, sem que a companhia seja referida. Segundo Holly, após 5 anos a trabalhar na série Sabrina, The Teenage Witch e a tentar convencer a empresa de que quer o grafismo quer o argumento estavam ultrapassados (a personagem data de 1962) e após várias propostas apresentadas de grafismo, argumento e personagens influenciados pelo manga sempre recusadas, a companhia resolveu utilizar as suas ideias, entregando o trabalho... a outra pessoa. Em conversa com o namorado, Jim Balent, o presidente e editor da BroadSword Comics, decidiram lançar o seu próprio título, School Bites.

O conceito é simples: e se à semelhança de Harry Potter, os vampiros também frequentassem uma escola? Foi assim que a adolescente Charlotte Webb, depois de ter sido assaltada por um vampiro num beco escuro e lá abandonada, foi convidada a frequentar o 1º ano da Shadow Academy, onde adopta o nome de Cherri Creeper e onde faz amizade com Cleobatra, Annie Mia, Sugar Shock e Fujiko.

O #2, Blood Drinking 101, explora as relações entre as personagens, as aulas na Academia e ainda a rivalidade da escola com o bando de Dante, o vampiro que transformou Charlotte.

Classificada como um misto de manga norte-americano cómico e gótico, o seu público-alvo serão as e os adolescentes acima dos 13 anos, sendo evocada alguma sensualidade e homo/bissexualidade.

School Bites #1-2
Holly G!
BroadSword, 2004-5 (EUA)
2 x 64 pp, brochados


Posted at 13:21 by enanenes
Deixe a sua opinião  




26.3.06
Metro Killer

ref.138/06

Francisco Vidal (n. 1978) não restringe a sua expressão artística ao desenho (seja través da banda desenhada, ilustração ou serigrafia), trabalhando também a escultura e a instalação.

No 10º número de LX Comics, Vidal vê publicada uma história sua de 16 páginas, intitulada Metro Killer.

Com um grafismo usual em publicações underground, o autor conta a história de um rapaz com fobia às escadas rolantes que empurrava as pessoas por elas abaixo até ao dia em que teve um acidente  e recorreu ao centro de saúde, onde encontrou o amor... ou não.

Um registo divertido dentro da surrealidade de toda a situação (ou a realidade da mente de alguém descompensado do ponto de vista psiquiátrico)...

Metro Killer
Francisco Vidal
LX Comics #10
Bedeteca de Lisboa, 2001 (Portugal)
16 pp, brochado
ISBN 972-8487-43-6


Posted at 12:14 by enanenes
Deixe a sua opinião  




25.3.06
Debaixo da Lua Vive Gente

ref.137/06

Na última folha da obra bilingue Debaixo da Lua Vive Gente / People Bellow the Moon, o leitor pode ler a minibiografia de Tom McCay. Nascido em 1926 em Nova Iorque, este professor de pintura, desenho e gravura, aos 70 anos escolheu a cidade de Saragoça para viver.

Tom McCay e Terry Morgan têm algo em comum - são ambos pseudónimos do ilustrador português Manuel Tiago Silva (tal como o autor asiático Murai Toyonobu).

Alheando-nos deste facto, concentremo-nos neste livro de McCay, o qual retrata a vida dos sem-abrigo norte-americanos, num registo entre o solidário e o mordaz, colocando-os, por exemplo, a discutir os problemas ambientais do nosso planeta.

No total são 70 desenhos a tinta-da-china e aguada a ocupar cada um a sua folha, impedindo que as linhas se misturem na leitura, que poderiam constituir um ensaio sobre a exclusão social, não fosse a violência do soco no estômago que o autor dá no leitor.

E que não se julgue que o que aqui se retrata se passa num país do outro lado do oceano Atlântico. Não nos esqueçamos que este autor norte-americano é, de facto, português.

Debaixo da Lua Vive Gente / People Below the Moon
Tom McCay
Campo de Letras, 2002 (Portugal)
140 pp, cartonado
ISBN 972-610-512-9


Posted at 13:32 by enanenes
Deixe a sua opinião  




24.3.06
The Clouds Above

ref.136/06

Jordan Crane realiza em The Clouds Above uma incursão no mundo infantil, iniciando a sua história quando Simon e o seu gato Jack chegam atrasados à escola e, no decurso de evitar problemas com o atraso, acabam por descobrir uma longa escada até ao topo das nuvens, onde travam conhecimento com Perch, uma nuvem triste, cuja humor Simon vem alegrar. Mas nem tudo é cor de rosa como Perch. As personagens acabam por ser ver envolvidas num conflito com umas sombrias e tempestuosas nuvens, bem como com um irritante bando de pássaros amarelos.

Após a leitura, é impossível não sentir ternura pela obra e considerar deliciosas as vinhetas, cada uma ocupando a totalidade de cada prancha. Seja pela surrealidade da lógica infantil, pelo espírito e excitação da descoberta ou pelos diálogos, por vezes, acutilantes, seja pelos tons suaves utilizados, esta novela gráfica desperta a criança que há dentro de nós e pode ser repartida com a restante família, independentemente da idade.

Recomendada a todos os que se maravilham com a inexistência do absurdo na infância.

The Clouds Above
Jordan Crane
Fantagraphics, 2005 (EUA)
216 pp, cartonado
ISBN 1-56097-627-6


Posted at 19:16 by enanenes
Deixe a sua opinião  




23.3.06
BEDÊ no TOP 10 Nacional da PC Guia

Extra! Extra! Extra!

Na habitual rubrica Internet Top 10 Nacional da revista de informática PC Guia, no seu número de Fevereiro de 2006 (#123), foram escolhidos 10 locais na net ligados à BD, ou melhor, à web aos quadradinhos.

Obrigada à PC Guia e à Susana Esteves por terem citado este blog entre os 3 primeiros (os dois anteriores foram os portais Bedeteca de Lisboa e Central Comics) e pelos seus elogiosos comentários.

Foram um reforço positivo muito bem-vindo!


Posted at 21:47 by enanenes
Deixe a sua opinião  




22.3.06
O Manuscrito Durruti

ref.135/06

O 3º número da série LX Comics é aquele com o subtítulo mais comprido: uma estória em que se promete mais do que se dá e em que todos parecem condenados a nunca se encontrarem.

Intitulada O Manuscrito Durruti, mais do que qualquer crítica social ou política como poder-se-ia pensar (Buenaventura Durruti, revolucionário / anarquista da Guerra Civil Espanhola) ou a obra poderia parecer prometer, a sua força reside na técnica narrativa encontrada para dar voz a várias personagens em Berlim, Madrid, Viena e Lisboa, ligadas por malas, manifestos, personagens de papel e um conjunto sucessivo de desencontros.

A arte fica aquém do argumento, mas em nada prejudica a leitura da obra.

O Manuscrito Durruti: uma estória em que se promete mais do que se dá e em que todos parecem condenados a nunca se encontrarem
Rafael Gouveia
LX Comics #3
Bedeteca de Lisboa, 1999 (Portugal)
20 pp, brochado
ISBN 972-8487-15-0


Posted at 20:28 by enanenes
Deixe a sua opinião  




Next Page
   

<< March 2006 >>
Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat
 01 02 03 04
05 06 07 08 09 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31

Estatísticas 2005:
Entradas: 369
Livros: 489
Entrevistas: 3



wwwBEDÊ


Outros sites:
BDesenhada.com
Tugópolis



Outros blogs:
Séries de TV
Cinema
CULTura PoP


Visitantes:




If you want to be updated on this weblog Enter your email here:




rss feed